Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Palavras soltas, pensamentos em sintonia

Palavras soltas, pensamentos em sintonia

O encontro do eu

tristeza4.jpg

O olhar derrama lágrimas, salgadas e fortemente sentidas, mas não significa que sejam apelidadas de depressão. Significa que se está a respeitar, a libertar as emoções encurraladas, a fazer o luto de alguma situação.

É necessário derramar essas lágrimas.

É necessário estar triste para ficar feliz, é necessário chorar para depois sorrir, é necessário gritar para se encontrar. Para se entender a razão de tudo, para compreender-se, encontrar-se, conhecer-se e envolver-se.

Cada lágrima derramada retira uma letra do sufoco que envolve o seu peito...O sufoco dos acontecimentos reais mas que aparentam ser irreais, o sufoco da sensação de incapacidade, o sufoco da saudade.

Esse sufoco que não sufoca, mas que dói. 

Essa dor que não magoa, mas que arde.

Esse ardor que não queima, mas que corrói.

É necessário todo esse envolvimento de sentimentos irrepreensíveis para se encontrar, para se levantar.

É necessária essa sensação de amor perdido, dessa ausência mas presença, desse sonho que não acorda para conseguir avançar.

É necessário esse olhar mais apagado, amargurado, disfarçado para que o sorriso volte a renascer.

É necessário essa mente recondida em pensamentos achados e perdidos, desmedidos, sem peso e medida para que a paz se volte a instalar.

Mas não é por isso que está deprimida, louca, insana...Está simplesmente a reagir, a levantar-se, a encontrar-se.

O encontro do eu é como uma ferida, dói quando está aberta, reagimos verbalmente, mas com o tempo sara e a pele regenera.

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D